Como tratar as Disfunções do Períneo

Como tratar as Disfunções do Períneo

O Pavimento Pélvico é uma estrutura anatómica que abrange a parte inferior da pélvis, sendo formado por ossos, músculos, ligamentos e tecido conjuntivo. O Períneo é esse conjunto de músculos que dá sustentação aos órgãos pélvicos (bexiga, uretra, útero, vagina e reto), trabalhando para a manutenção da continência urinária e fecal, função reprodutiva, sexual e postural.

O Pavimento Pélvico é uma estrutura anatómica que abrange a parte inferior da pélvis, sendo formado por ossos, músculos, ligamentos e tecido conjuntivo. O Períneo é esse conjunto de músculos que dá sustentação aos órgãos pélvicos (bexiga, uretra, útero, vagina e reto), trabalhando para a manutenção da continência urinária e fecal, função reprodutiva, sexual e postural.

As disfunções do Períneo constituem um grave problema de saúde pública, pela sua prevalência elevada, impacto na qualidade de vida e elevados custos económicos.

 

Quais são as Disfunções do Períneo?

– Incontinência Urinária

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina, sendo que existem três tipos:

  • Esforço (resultante de um esforço, tosse ou espirro);
  • Urgência (decorrente de uma urgência urinária);
  • Mista (associada ao esforço e à urgência).

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, atinge mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo considerado um problema de saúde pública.

– Incontinência Anal

A incontinência anal é a perda involuntária de flatos ou fezes.

– Prolapso dos Órgãos Pélvicos

O prolapso urogenital é a descida do útero, cúpula vaginal, bexiga, uretra, saco de Douglas ou reto.

– Algias Pélvicas

Dor recorrente e persistente na pélvis.

– Disfunções Sexuais

Podem ser femininas ou masculinas. Na mulher, as mais frequentes são a diminuição do prazer ou da excitação, excitação persistente, disfunção do orgasmo e a dispareunia.

Como tratar as Disfunções do Períneo?

O tratamento conservador das patologias do períneo inclui mudança no estilo de vida e fisioterapia. É um tratamento com baixo risco de efeitos adversos e não prejudica outros tratamentos, consequentemente não representa elevados custos.

Para escolher um tratamento adequado e individualizado, cada paciente deverá passar por uma avaliação específica dos músculos do períneo, feita através do toque vaginal ou retal. Assim sendo, esta avaliação permite verificar se o paciente é capaz de contrair e relaxar os músculos perineais de forma correta, verificar a força, os reflexos e se existem pontos de dor ou cicatrizes nessa região.

Segundo a International Continence Society, a fisioterapia está indicada como tratamento inicial para as disfunções do períneo. Este tratamento deverá ter uma duração de 8 a 12 semanas, sendo também indicado para a prevenção destas patologias. São feitas em média 10 a 15 sessões, primeiramente 2 vezes por semana, evoluindo posteriormente para sessões semanais e quinzenais. Cada sessão tem a duração de 45 a 50 minutos.

A paciente deve estar consciente de que deve fazer os exercícios regularmente e dar continuidade ao treino após o fim do tratamento, de forma a manter as alterações conseguidas com a reabilitação.

O tratamento conservador das patologias do períneo inclui:

Cinesioterapia (Exercícios de Kegel)

Os Exercícios de Kegel consistem em exercícios de contração e relaxamento dos músculos do períneo, permitindo uma melhor contração mantida destes músculos. Tornando a contração mais forte e rápida, e que consequentemente ajuda na compressão da uretra contra a sínfise púbica. Que resulta no aumento da pressão intra-uretral, hipertrofia dos músculos do períneo e aumento do volume desta musculatura.

Biofeedback

O biofeedback é uma resposta visual ou auditiva no momento em que decorre uma ação e que permite uma constante correção do movimento ou adaptação a este. Ensina a contração e relaxamento muscular do períneo pois, através de um gráfico computorizado, a paciente consegue visualizar a intensidade e duração da sua contração. Isto conduz a um trabalho muscular mais rápido e eficaz. As sondas vaginais ou anais ou a palpação são formas de biofeedback.

Eletroestimulação

A electroestimulação é uma técnica que utiliza pulsos elétricos que estimulam o tecido muscular, estimulando a sua contração. Promove a perceção perineal, a proprioceção e a normalização da sensibilidade. Que resulta numa melhor função dos músculos do períneo.

Massagem perineal

A massagem perineal é utilizada para o alongamento e relaxamento dos músculos do períneo. Pode ser utilizada em casos de algias pélvicas, disfunções sexuais e na preparação para o parto normal.

Massagem cicatricial

As cicatrizes de cesariana, episiotomia ou laceração podem ser muito dolorosas quando formam aderências ou fibroses. A massagem cicatricial mobiliza o tecido superficial e profundo de forma a libertar estas aderências. Pode ser feita simplesmente com os dedos ou com instrumentos com superfícies irregulares que promovem a dessensibilização da cicatriz.

Epi-no/Exercitador

O Epi-no é utilizado para o alongamento dos músculos do períneo, tanto nas grávidas como em algias pélvicas e disfunções sexuais. Pode ser utilizado pelas grávidas que desejem um parto normal, para fazer o treino de expulsão.

Dilatadores vaginais

Os Dilatadores vaginais são utilizados no alongamento dos músculos do períneo. São muito úteis no tratamento do vaginismo e nas dispareuneias. O dilatador deve ser feito depois do treino de relaxamento muscular. Deve ser introduzido progressivamente do maior para o mais pequeno, de acordo com a tolerância da paciente, ou seja, é um tratamento altamente individualizado.

Cones vaginais

Os cones vaginais são indicados para o fortalecimento muscular. O seu peso pode variar entre as 20g e as 70g, devendo ser utilizados progressivamente do mais leve para o mais pesado. O cone é colocado na vagina da paciente como se fosse um tampão, devendo esta realizar exercícios, para que assim o peso seja suportado pela musculatura do períneo.

Tecarterapia nas Disfunções do Períneo

A Tecarterapia é uma terapia não invasiva que utiliza a diatermia (aquecimento do corpo por via interna através de correntes elétricas de alta frequência).

Estimula o processo de cicatrização, alivia a dor e o edema, na medida em que a interação eletromagnética entre os tecidos e o campo eletromagnético provoca um aumento do fluxo sanguíneo na área a tratar.

Nas Disfunções do Períneo, a Tecarterapia tem um papel importante no pós parto, nomeadamente na eliminação de aderências, aceleração do processo cicatricial, redução da inflamação e do edema. Nas álgias pélvicas permite uma analgesia imediata, hidratação tecidular, estimulação dos tecidos e restabelecimento da troficidade vaginal.

Na incontinência urinária reduz a inflamação e aumenta a hidratação dos tecidos, permitindo também o reforço da musculatura do períneo.

A Reabilitação Perineal tem-se revelado um tratamento eficaz nas patologias do períneo. Pois conduz a alterações neuromusculares e metabólicas que originam o aumento de respostas, como por exemplo, a resposta reflexa, da força e da resistência muscular assim como, normalizam o tónus,a coordenação muscular e a hipertrofia.

Concluindo, os resultados de um treino de reabilitação dependem do tipo de tratamento, da motivação do paciente e da sua integridade nervosa e muscular.