Peso das mochilas vs escoliose – Mito ou verdade?!

Peso das mochilas vs escoliose – Mito ou verdade?!

A escola é a “segunda casa” de crianças e adolescentes pois é onde passam a maior parte do seu tempo semanal. Uma das maiores preocupações dos pais com filhos em idade escolar é o peso excessivo das mochilas que transportam para a escola, acreditando-se que possa levar a problemas posturais, como p. ex., a escoliose. Posto isto, peso das mochilas vs escoliose – Mito ou verdade?!

Sinais de alerta

A escoliose é uma deformidade que se desenvolve lateralmente na coluna. Embora seja mais evidente um desvio da coluna para um dos lados, é considerada uma deformidade tridimensional, com rotação e desvio em vários planos. A sua causa é, na maioria dos casos, desconhecida e descrita como multifatorial.

As idades compreendidas entre os 7 e 12 anos, são aquelas mais suscitáveis a desenvolver este tipo de alterações posturais.

Os principais sinais de alerta são:

  • os ombros a alturas diferentes,
  • uma das ancas mais levantada,
  • cintura desigual,
  • inclinação do corpo para um dos lados, e
  • proeminência da grelha costal ao dobrar o tronco para a frente.

Uma vez detetada a escoliose, e onde os pais e professores desempenham um papel importante na sinalização do problema, a criança ou adolescente deverá ser seguido(a) por um especialista da área da Ortopedia e por um(a) fisioterapeuta. A fisioterapia deverá consistir num tratamento individualizado e específico e ter por base diminuir o risco de progressão da deformidade. Sendo fundamental para reforçar a força muscular e contribuir para uma melhoria da postura.

Peso das mochilas vs escoliose – Mito ou verdade?! Mito ou verdade?

O transporte de mochilas escolares pode elevar a quantidade de stress na coluna vertebral, podendo existir uma associação entre a instalação de alterações posturais com o peso das mochilas. No entanto, o desenvolvimento de escoliose não tem como factor primordial a utilização de mochilas escolares com peso excessivo.

Fatores como nutrição, atividade física e mobiliário desadequado às necessidades escolares e posturais, podem ser predisponentes ou agravantes de escoliose em crianças ou adolescentes.

A escola apresenta-se como o local ideal para prevenir e orientar os alunos, consciencializando-os sobre posturas corretas e adaptações necessárias para diminuir o risco de surgimento de alguma alteração postural.

O fisioterapeuta desempenha um papel importante na correção postural podendo também intervir no processo de consciencialização.Assim, quando identificado algum dos sinais de alerta acima descritos, recomendamos uma avaliação com os especialistas da área para uma intervenção mais eficaz no tratamento bem como na prevenção da progressão da escoliose.