A Terapia do Espelho como abordagem terapêutica – Neurónios Espelho

A Terapia do Espelho como abordagem terapêutica – Neurónios Espelho

Sabia que no nosso cérebro existem neurónios chamados Neurónios Espelho?

Os neurónios espelho foram descobertos nos anos 90 por um neuro fisiologista italiano, chamado Giacomo Rizzolatti. Durante um trabalho de investigação sobre activação cerebral e movimento, em primatas, Rizzolatti chegou a uma conclusão. Que mesmo sem o primata realizar nenhum movimento e estando apenas a observar outro primata, áreas do córtex pré-motor eram activadas. Confirmando-se assim a existência de neurónios espelho. Esta descoberta deu origem à Terapia do Espelho, que iremos abordar ao longo deste artigo.

Neurónios Espelho

Os neurónios espelho são activados quando o individuo realiza uma ação motora especifica. Assim como, quando observa alguém a realizar uma acção motora. O que sugere que estes neurónios contribuem também para a compreensão da intencionalidade das acções dos outros indivíduos.

Para além do referido anteriormente, os neurónios espelho estão igualmente envolvidos na cognição social, empatia e teoria da mente. Que representa a capacidade de compreender que os outros possuem crenças, desejos e intenções, distintas da sua própria.

Após a descoberta destes neurónios e da sua função no cérebro humano, algumas patologias foram associadas aos mesmo. Destacando-se a Esquizofrenia e a Perturbação do Espectro do Autismo. Estudos científicos relatam que disfunções nos neurónios espelhos poderão justificar alguns dos sintomas destas patologias, como a falta de empatia e dificuldades nas relações interpessoais. Este um tema que suscita a curiosidade para a continuidade dos estudos.

A Terapia do Espelho como abordagem terapêutica

Com base nesta teoria, foram desenvolvidas intervenções terapêuticas, como a Terapia do Espelho. A Terapia do Espelho como abordagem terapêutica – Neurónios Espelho foi desenvolvida por Vilayanur Ramachandran. Inicialmente para diminuir a dor fantasma em amputados, uma vez que o reflexo do membro não amputado no espelho dava a sensação de ver dois membros em movimento, o que reduzia a dor. Actualmente, a Terapia do Espelho é utilizada em indivíduos com sequelas de AVC (Acidente Vascular Cerebral), na reabilitação motora do membro parético (afectado). Ao observar os movimentos reflectidos no espelho, surge uma activação neuronal dos neurónios espelho nas áreas motoras cerebrais, tanto no hemisfério não lesado como no lesado o que eventualmente irá resultar numa reorganização cortical e melhoria funcional do membro parético.

Assim, esta terapia constitui mais uma abordagem que pode ser utilizada na intervenção terapêutica realizada por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, especialmente em indivíduos com sequelas de AVC.

https://www.facebook.com/NeuroSentidos/videos/1335457313331294/

Fique a saber mais um pouco a Terapia do Espelho como abordagem terapêutica numa apresentação fascinante do Neurocientista Vilayanur Ramachandran: https://www.ted.com/talks/vilayanur_ramachandran_the_neurons_that_shaped_civilization?language=pt