O papel do Fisioterapeuta na dor Crónica

O papel do Fisioterapeuta na dor Crónica

O que é a Dor Crónica? 

A dor pode ser definida como “uma experiência sensorial e emocional desagradável associada a uma lesão potencial no tecido”. Quando a dor persiste por mais de 3 meses e não tem nem início nem fim perceptível, é considerada uma dor crónica. Este tipo de dor não tem que estar obrigatoriamente associada a uma lesão e as suas causas nem sempre são claras. Ao longo do tempo, a dor pode afectar a funcionalidade, como por exemplo, a capacidade de trabalhar. Mas também alterar padrões de sono. Podemos encontrar esta condição em pessoas de todas as idades. Neste artigo iremos falar do papel do fisioterapeuta na dor crónica.

Existem várias fontes de dor crónica, entre elas as mais prevalentes nos dias de hoje são:

  • Dor cervical e lombar;
  • Artrite reumatóide;
  • Osteoporose;
  • Dor no ombro;
  • Cancro;
  • Fibromialgia.

É relevante mencionar que na população pediátrica este tipo de dor também é uma realidade, sendo esta de maior incidência em disfunções neuromotoras ou do foro reumatológico.  

O papel do Fisioterapeuta na dor Crónica:

Antes de optar por uma abordagem terapêutica, o fisioterapeuta deve fazer uma correta avaliação, tendo sempre em conta a subjetividade individual do que é “a dor”. Para contornar esta subjetividade, pode-se quantificar ou qualificar a dor através das suas escalas analógicas ou numéricas. Após esta avaliação, é delineado um plano de tratamento individualizado. De modo a orientador a pessoa com esta condição, de forma a desenvolver as competências para gerir e controlar a sintomatologia e, consequentemente aumentar a sua qualidade de vida.

Programas de reabilitação

Aqui o fisioterapeuta deve incluir o trabalho de controlo da dor recorrendo a estratégias de educação e adaptação, prescrição de exercício físico condicionado e uso de técnicas e métodos de relaxamento. Dentro destas duas últimas, podemos mencionar o Pilates Clínico e a Tecarterapia.

No Pilates Clínico a pessoa é vista como um todo, apresentando resultados notórios após a primeira sessão de tratamento, por outras palavras, o Pilates Clínico vai equilibrar o organismo ao nível global. A sua prática contínua conduz a uma libertação hormonal que melhora, não só o quadro clínico da dor, mas também apresenta benefícios a nível de mobilidade, saúde cardiovascular e no bem-estar geral de cada um. Este método baseia-se em exercícios, tais como: controlo consciente do corpo, estabilização da coluna e alongamento ativo. Tornando-se essencial para a diminuição do stress corporal provocado por uma dor crónica.

A Tecarterapia, trata-se de uma técnica não invasiva, que recorre à diatermia, potencializando a bioaceleração natural do organismo. A diatermia, usada com efeito térmico, promove o aumento da temperatura corporal estimulando o processo natural de regeneração celular, consequentemente, promove o relaxamento. Durante a aplicação desta corrente é fomentada a microcirculação e vasodilatação na área a ser tratada proporcionando uma diminuição da dor consequente da libertação localizada de endorfinas (hormona que diminuiu a dor). https://sausport.com/produtos/tecarterapia/

Em conclusão, se apresenta um quadro de dor crónica procure a ajuda de um fisioterapeuta –  em conjunto, encontrarão uma solução! Cuide de si!