Os desafios do distanciamento social

Os desafios do distanciamento social

Já alguma vez parou para pensar na importância que têm todas aquelas actividades que faz no seu dia-a-dia? Este artigo irá abordar os desafios do distanciamento social.

E já se questionou acerca da importância de estar ocupada?

O mais provável é que até à data nunca tenha reflectido sobre o assunto.

No entanto, dado o estado de pandemia em Portugal, em resultado da infecção pelo COVID-19, grande parte da população portuguesa encontra-se confinada à sua casa.

Portanto, este momento pode ser o ideal para pensarmos sobre isso!

O facto de estar em isolamento talvez o tenha motivado a reflectir sobre esta questão e consequentemente tenha começado a reconhecer a importância que essas ocupações diárias têm, sobretudo pelo desafio que representa limitarmos a nossa rotina a um único contexto, a nossa casa.

Mas o que é afinal uma ocupação?

Ocupação é conhecida, por outras palavras, como actividade. Essa actividade ou actividades, que nos ocupam tempo, devem, contudo, ser significativas, quer dizer, devem ser importantes para nós. No entanto, as ocupações não são apenas as actividades que gostamos de desempenhar, mas também as que são necessárias e obrigatórias. Nestas últimas então incluídas por exemplo, as actividades de higiene, a lida doméstica, o lazer, a interação social com amigos e família, o trabalho, o brincar – muito importante no caso das crianças – e o descanso.

Mas… E quando somos postos à prova?

Quando estamos perante uma situação que nos impede de realizar as nossas actividades diárias significativas, durante um longo período, estamos, consequentemente perante uma situação de privação ocupacional.

E o que é isto de privação ocupacional?

Para clarificar, privação ocupacional é o conceito usado para descrever as desigualdades nas oportunidades das pessoas, em participar, em ocupações significativas.

E o que pode levar à privação ocupacional?

Existem portanto diversas situações que podem conduzir uma pessoa a um estado de privação ocupacional, como por exemplo: estar preso, ter uma deficiência ou uma doença mental, estar geograficamente isolado, ser sem-abrigo, apresentar um rendimento económico abaixo da média ou estar desempregado por longo período.

E nós? Estamos afinal em estado de privação ocupacional?

Este período de isolamento social em que nos encontramos não é considerado uma situação de privação ocupacional, por outro lado, não deixa de ser certamente uma situação que para muitos é desconcertante e consequentemente poderá ser causador de mau estar, principalmente emocional.

Assim, devemos envolver-nos em ocupações significativas e continuar a ter controlo e liberdade na escolha dessas ocupações. É extremamente importante que o façamos, pois permite-nos continuar a ter saúde, melhor qualidade de vida e dar significado e propósito à nossa vida.

Mas como podemos fazer isso, se não saímos de casa?

Vamos “tentar” manter as rotinas!

  • Em primeiro lugar, comece por criar uma rotina para os dias de semana diferente do fim de semana, pois assim conseguirá distinguir estes dois momentos semanais.
  • Durante a semana tente estabelecer uma hora para acordar e não se deixe ficar na cama pois, esse hábito vai certamente interferir com os seus hábitos de sono e, consequentemente, ser prejudicial para a sua saúde.

É muito importante a nossa auto-estima!

  • Ao acordar vista uma roupa que não o seu pijama, assim será mais fácil tornar-se produtiva, tanto para trabalhar a partir de casa como para realizar as actividades planeadas para esse dia.
  • Mantenha os seus hábitos de higiene! Não sair de casa não significa, portanto, que devemos deixar de realizar a nossa higiene… pelo contrário! Realizarmos a nossa higiene permitir-nos-á sentir bem, que é extremamente importante nesta fase causadora de stress.

Vamos manter a saúde física e mental!

Estar em isolamento social pode, subsequentemente, levar-nos a actividades mais sedentárias o que não é de todo saudável. Mesmo para quem não tem o hábito de praticar exercício físico deve aproveitar este momento para o fazer pois, o mais importante é que além de ajudar a passar o tempo, é um hábito promotor de saúde.

Exercício Físico?! Sim… é possível a partir de casa!

  • Utilizemos o Youtube – esta plataforma apresenta uma vasta oferta de vídeos de exercícios físicos para fazer em casa. É possível encontrar vídeos para todos, desde exercícios simples para quem não pratica exercício com regularidade https://www.youtube.com/watch?v=KwxCuTuknMk, a exercícios de maior dificuldade e intensidade https://www.youtube.com/watch?v=pJV9q-DPvjs e até exercícios para quem tem alguma patologia que a impeça de praticar exercício da forma comum:

Para os que devido a uma patologia estão impedidos de fazer exercícios, como por exemplo:

Aplicações no telemóvel – são diversas as aplicações existentes que poderão tornar este período de isolamento social mais ativo.  A maioria das aplicações são gratuitas e estão disponíveis para quase todos o tipo de telemóvel. Para clarificar, basta ir à Playstore ou Applestore e descarregar a aplicação que mais se adequa a si.

Mas, e se o problema não é fazer exercício, mas sim estar motivada? Vamos lá!

Se a motivação é a razão pela qual não pratica exercício experimente:

  • Fazer exercício físico com toda a família;
  • Fazer exercício acompanhando uma aula em directo do Facebook ou Instagram… estas podem ser bastante divertidas!

E…… para além disso:

Dance! Dançar é uma forma de praticar exercício físico e pode resultar muito bem para os que não gostam daqueles exercícios mais convencionais.

Pode também ler o nosso artigo acerca do Envelhecimento Activo para ficar a saber um pouco mais sobre os riscos da sedentariedade!