Será que cólicas são apenas cólicas?

Será que cólicas são apenas cólicas?

As cólicas nos bebés são um tema bastante comum que, não só preocupa muito os pais, como também diminui a qualidade de vida do bebé. São perfeitamente naturais e temporárias, no entanto, poderão ser assustadoras. Por norma, as cólicas aparecem na terceira semana de vida e são manifestadas por choro agitado e persistente, sem causa visível. Neste artigo iremos esclarecer se as cólicas são apensas cólicas.

Para perceber melhor… Porque é que a cólica aparece?

As cólicas surgem a partir de acontecimentos transitórios de etiologia multifatorial e podem ser ocasionadas devido a:

  • Deglutição excessiva de ar (na amamentação, uma má pega na mama ou o uso de bicos de silicone podem fazer com que haja entrada excessiva de ar, desencadeando cólicas);
  •  Imaturidade gastrointestinal ao contactar com um novo alimento;
  • Tipo de parto (um parto mais violento pode causar desequilíbrios no funcionamento do organismo do bebé a vários níveis, aumentando a probabilidade de ocasionar cólicas mais intensas);
  • Tensão emocional (tal como acontece com muitos adultos, numa situação de stress, podem ocorrer alterações a nível intestinal, como por exemplo, dor abdominal, obstipação, gases, diarreia…).

O intestino e a sua relação com as emoções…

É cada vez mais falado que o intestino é considerado um segundo cérebro e também um órgão emocional. No entanto, a grande diferença entre bebés e adultos passa pelo facto dos mais velhos beneficiarem de mecanismos de autorregulação, algo que os pequenos ainda não têm, desencadeando uma resposta exagerada: o choro intenso.

O que é importante ter em consideração, quando o choro intenso se inicia?

Nesta fase, onde prevalece o dever de cada um ficar em casa, muitos de vocês deparam-se com a dificuldade em estar 24/24h com o vosso bebé recém-nascido ou criança confinados a um espaço, sem saber ao certo como agir para atenuar o seu desconforto. Quando o choro inconsolável chega, é importante ter uma linha de pensamento e ação, consoante as necessidades do bebé.

Algumas estratégias…

Em primeiro lugar, uma das formas de ajudarmos o nosso bebé a autorregular-se passa pelo que as mamãs e os papás sabem fazer melhor: dar conforto, segurança, contacto físico (colo com o bebé de barriga para baixo), mama e chupeta. Tudo isto combinado com um ambiente harmonioso, é essencial para a estabilidade emocional do bebé e da mãe.

Por outro lado, uma das grandes opções escolhida por muitos pais é a massagem. Esta é feita preferencialmente com movimentos lentos e ritmados, no sentido do trânsito intestinal. Assim, vai facilitar a eliminação intestinal e diminuir a distensão abdominal, melhorando certamente o desconforto e dor, associados a episódios de cólicas.

Concluindo…

Em resumo, é importante equilibrar o seu bebé para lhe garantir o melhor desenvolvimento físico e emocional possível!

A osteopatia também é uma boa ferramenta para o ajudar!

Garanta o bem estar do seu filho e acredite em si! Afinal de contas, as mães sabem SEMPRE o que é melhor para os seus filhos!

Partilhamos convosco um artigo onde são acrescentadas mais algumas técnicas. Esta é uma das situações onde toda a ajuda será bem vinda! 🙂